Migrações

 

Contratación de servicios profesionales para el desarrollo del estudio de caso da República Portuguesa del proyecto: “Migraciones profesionales LA-UE oportunidades para el desarrollo compartido”

 

A crescente necessidade de recursos médicos e de enfermagem em Portugal, fez aumentar a procura de prestadores de cuidados imigrantes. Um relatório da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar em parceria com a Escuela Andaluza de Salud Publica e a Escola Nacional de Saúde Pública apresenta o panorama Português, no que respeita à imigração entre os profissionais de saúde no Serviço Nacional de Saúde.

No último ano analisado, 2007, das 14 nacionalidades Ibero-americanas representadas em Portugal, Espanha contribuía com 78,4% dos médicos estrangeiros, seguida do Brasil com 16,5%. Quanto aos enfermeiros, Espanha e Brasil destacam-se novamente, com 82,8%, e 14,4% respectivamente. Os profissionais destes países representam, então, 97,2% do total de imigrantes no setor. Questões laborais e profissionais são as principais razões para a emigração.

Em Portugal os profissionais dizem encontrar bom ambiente profissional e pessoal e bom acolhimento social. Do lado negativo, salientam a dificuldade de comunicação e a ausência das famílias. No entanto, a generalidade não considera o regresso.

Os resultados poderão ser consultados em www.mpdc.es

  

PreviewAttachmentSize
MPDC_resumo_executivo_PT.pdf212.64 KB