Prémio de Boas Práticas em Saúde® comemora 10 anos

O Prémio de Boas Práticas em Saúde ® (PBPS) está de parabéns ao comemorar o décimo aniversário.

Desde 2006 que o PBPS tem como objetivos dar a conhecer as boas práticas em saúde e em qualidade e inovação, a nível nacional e internacional, replicar as mais-valias das boas práticas para o desempenho do Sistema de Saúde e suscitar o desenvolvimento de ações de mudança com o intuito de se constituírem casos de excelência.

A primeira iniciativa do Prémio, a 10 de outubro de 2006, ficou marcada pela realização do primeiro de três seminários, que visavam premiar os projetos de maior qualidade nas vertentes Eficiência, Efetividade e Equidade.

No primeiro seminário foram premiados os projetos: “Apoio Domiciliário a idosos Dependentes” da Liga dos Amigos do Centro de Saúde Soares dos Reis de Vila Nova de Gaia e o projeto “PRISMA” – Programa de Reabilitação e Intervenção em Saúde Mental em Ambulatório, do Hospital Garcia de Orta.

Nos dois seminários seguintes foram premiados, na vertente Efetividade os projetos: “Criar Excelência em Laboratório”, do IPO de Lisboa, “Música nos Hospitais e IPSS” do Hospital Garcia de Orta e “Programa de Prevenção e Controlo do Risco de Exposição profissional ao Sangue, do Hospital de S. José. Na vertente Equidade foi premiado o “Programa de Telemedicina para a região Alentejo”, da Administração Regional de Saúde(ARS) Alentejo.

Ana Escoval, ex-presidente da direção da Associação Portuguesa para o Desenvolvimento Hospitalar (APDH), foi uma das principais fundadoras do PBPS, iniciativa que desde o início contou com o apoio institucional da Direção-Geral da Saúde (DGS). Numa fase posterior, foram envolvidas a Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS), I.P. e as cinco ARS, tendo este processo culminado num protocolo de colaboração assinado por todas as entidades. A Comissão Organizadora do PBPS é constituída por um representante de cada um dos organismos, coordenados pela APDH.

37 projetos premiados numa década

Ao longo dos dez anos foram apresentadas cerca de 500 candidaturas, das quais, após pré-seleção e avaliação científica, foram premiados como boas práticas em saúde, um total de 37 projetos, desenvolvidos nas várias regiões de saúde e em instituições de natureza distinta.

De entre os projetos vencedores até ao ano transato, foram identificados numa primeira fase os que ainda se encontram ativos e, numa segunda fase, considerando um conjunto de critérios (o seu desenvolvimento, dimensão atual, impacto nos utentes e/ou população, replicabilidade e transferibilidade), foram revisitados em cada uma das regiões de saúde os projetos abaixo identificados, os quais representam Boas Práticas de Excelência, em alinhamento com os principais objetivos do PBPS.

Designação do projeto

Região e Instituição

Coordenador / Representante do Projeto

Sistema de logística interna HLS, Hospital Logistics System

Região Norte

Centro Hospitalar do Porto, EPE

Dr.ª Élia Costa Gomes

Telemedicina – igualdade de acesso à formação em cardiologia Assistência Médica Diferenciada em Cardiologia Pediátrica e Fetal

Região Centro

Centro Hospitalar Universitário de Coimbra, EPE

Dr. Eduardo Castela

Centro de Desenvolvimento da Criança Torrado da Silva

Região LVT/Hospital Garcia de Orta, EPE

Dr.ª Maria José Fonseca

Criar Excelência em Laboratório ( Laboratório de Virologia)

Região LVT/IPO Lisboa,EPE

Dr. Mário Cunha

Intervenção Precoce no Alentejo

Região Alentejo/ARS Alentejo, IP

Dr.ª Cristina Miranda

Telemedicina no Alentejo

Região Alentejo/ARS Alentejo, IP

Dr.Luís Gonçalves

Nutrição entérica no ambulatório

Região Algarve/Centro Hospitalar do Algarve, EPE

Dr.ª Ana Maria Lopes

Intervenção inter-ilhas no diagnóstico, tratamento e prevenção da obesidade infantil

Região  Autónoma dos Açores/Hospital do Divino Espírito Santo de Ponta Delgada, EPER

Dr.Rui César

 

Todos os projetos premiados podem ser consultados em www.boaspraticasemsaude.com.

As comemorações do 10.º aniversário tiveram início em março de 2016, e terminam em abril de 2017, procurando dar visibilidade aos melhores projetos, mediante a sua divulgação, sem esquecer o reconhecimento das várias Instituições envolvidas e da vasta equipa de colaboradores das Comissões Científica e Organizadora.